segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

SOBRE A GRAÇA DE SER ADAPTÁVEL (E O PODER DA FORÇA)!


Já abrimos garrafa de vinho com parafuso, na falta de um saca-rolhas. Já abrimos lata de almôndegas com faca. Já usamos pano de prato para a limpeza, na falta de flanela. Já fechamos pacotes de alimentos não perecíveis com pregador. Já fizemos arroz sem alho, só porque não tinha alho mesmo.

A gente poderia, é claro, deixar de lado o que estávamos fazendo e sair para comprar a ferramenta correta para aquele determinado fim. Mas, além da preguiça (que em tempos de férias é ainda mais certeira), existe um fato que nos impede de fazer isso: somos adaptáveis! Você pode achar que isso é só uma desculpa para mascarar a preguiça (e é!), mas tem alguma coisa de cômico e não trágico nesses ajustes do dia-a-dia. É impressionante como a gente sabe - e, se não sabe, aprende a - se virar direitinho!

Me vem na cabeça algo como "Se a gente é capaz de abrir uma lata de salsicha com uma faca, somos capazes de lidar com esse probleminha aqui com outra ferramenta também". A gente se adapta. Como quando fizemos um varal improvisado no quarto, em dia de chuva, amarrando a cordinha no varão da cortina e no varão de dentro do guarda-roupas. Você nunca pensou nisso, não é verdade? Pois é. Anote aí.

E, na hora da batalha dos Jedis - digo, entre você e o seu par - lembre-se que você pode usar um sabre de luz de outra cor. Ou, usar a sabedoria da Força e evitar maiores conflitos. Sempre há uma alternativa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu traço riscar!