sábado, 21 de maio de 2016

ACREDITE: MUITAS PESSOAS ADORARIAM CONHECER VOCÊ AGORA!

Acho que não é segredo para ninguém que quando nos mudamos de cidade, emprego ou de qualquer ambiente que nos deixe expostos a novas pessoas e situações, aquele friozinho na barriga sempre surge em algum momento. Vocês sabem, como contei por aqui algumas vezes, que estou morando em Angra dos Reis desde dezembro. Isso, infelizmente, me distanciou um pouquinho de algumas grandes amizades que eu tinha em Volta Redonda, minha antiga cidade. Sabe como é? Aquela questão de o virtual não ser suficiente para substituir o presencial (embora ajude muito a nos manter mais "pertinhos"). Bem, mas sem devaneios, é "tão certo quanto o calor do fogo" (Oi Capital Inicial!) que eu preciso me conectar com outras pessoas na cidade em que moro hoje.

Não sei se você pensa como eu nesse quesito, mas eu sou apaixonada por criar relacionamentos. De verdade. Me dá um prazer imenso conhecer novas pessoas, ouvir as histórias de suas vidas (por menos que eu conheça sobre elas) e, claro, compartilhar coisas minhas também. Me sinto meio que "um livro aberto", sabe? E não vejo problema nisso não. Mas, nem sempre foi assim. Na minha adolescência, por exemplo, eu era mais seletiva quanto às pessoas que de quem eu me aproximaria. Isso porque queria ter por perto pessoas que se parecessem comigo; pessoas que pensassem de um jeito muito similar ao meu. E, hoje, olhando para trás, eu confesso que eu tinha um jeitinho bem esquisito de pensar. Anyway ... Não é surpresa que eu tenha perdido a chance de conhecer e criar vínculos com pessoas incríveis. 

Comparando a minha antiga fase com a minha situação de raciocínio atual, me considero numa posição muito melhor. Como eu havia dito: aberta a novas possibilidades, ainda que o outro seja claramente diferente de mim. Não vou dizer que é fácil. Você deve saber. Como manter uma conversa com alguém que tem uma opinião política, religiosa ou seja lá o que for, que seja diferente da sua?! Posso ser sincera?! É interessantíssimo! Imagine só se nos relacionássemos (como eu tinha o hábito de fazer) apenas com pessoas que tem e-xa-ta-men-te as mesmas considerações que as nossas! Acho, francamente, que seria difícil aprendermos novos conceitos, ideias, vertentes, experiências ... Se conectar com alguém ou algo completamente diferente de você pode ser fascinante e extremamente educativo. Estamos vivendo um período no país em que as opiniões divergentes se chocam e causam discussões mirabolantes, muitas vezes, não é? E é perceptível a diferença entre uma pessoa que sabe se envolver e analisar outras ideias, daquelas que não sabem. Enfim, esse é apenas um pequeno exemplo de que como saber entender o diferente é saudável.

Não falo apenas de pessoas, não, não. Já passou pela sua cabeça ler um livro sobre um assunto que você nunca leria? Eu, por exemplo, não entendo bulhufas de Física, mas tenho pensado em ler alguma coisinha que me faça entendê-la melhor. Até por quê, pasmem, minha única nota vermelha na época da escola foi em Física. Amigos de exatas, tenham dó de mim.

Bem, acho que me prolonguei. Não quero me perder aqui, então, voltemos ao assunto inicial.

VOLTANDO AO ASSUNTO,

com toda essa coisa de conexão passando pela minha cabeça, eu sabia que precisaria estar aberta e disposta a me conectar com as pessoas, embora, muitas e muitas vezes, a opção de assistir a uma série, debaixo da cobertinha, abraçada com o coisinho (Bruno!) me pareça atraente demais. É, impulsos como esse devem ser superados para que a gente cresça e experimente coisas novas, né?! 

Então, como se a lei da atração estivesse funcionando perfeitamente, o Bruno e eu conhecemos (através dos meus cunhados) um casal muito gente boa. Mas muito gente boa mesmo, cara! A Dani e o Felipe. Em um dos encontros em grupo, como num passe de mágica unicórnico, a Dani nos convidou para um passeio de domingo que tinha tudo para ser in-crí-vel: passear de veleiro nesse marzão de Angra dos Reis. E nós, ainda que a timidez tentasse nos coagir, aceitamos. E foi a melhor decisão que tivemos para aquele domingo! 

SOBRE UM PASSEIO CHEIO DE DESCOBERTAS:

Saímos de casa na manhã do último domingo, e seguimos para o porto. O Felipe e a Dani nos apresentaram o veleiro Vovó Carmen com aquele brilhinho nos olhos. Que bonito, gente! Foi a primeira vez que o Bruno e eu entramos em um veleiro. E, posso te contar uma coisa? Eu moraria feliz da vida em um desses. Conversamos para caramba, comemos lasanha, derrubamos lasanha no veleiro (né, Dani?), o Bruno aprendeu lições de vela com o Felipe (tem muito o que aprender ainda, meu amor!) e rimos, rimos, rimos. Por um momento, queria mesmo que o tempo parasse. É preciso saber apreciar os presentes que a vida te dá enquanto, vez ou outra, você está focado apenas nos problemas. Agarre o seu presente, sério. Aquele marzão sereno me pareceu um presente estupendo da vida. Aaaah, não poderia deixar de contar que nesse passeio eu conheci a Ilha Grande pela primeira vez. EBA! Fomos à Lagoa Azul. E eu fico sem palavras mesmo. Fizemos vários registros e quero compartilhar com você, ao invés de ficar escrevendo igual a uma doidinha.
















Agora, depois de tanto texto e tanta informação, você para e me pergunta: Ô Laysla, o que você quer me dizer com tudo isso? 

O QUE EU QUERO TE DIZER COM TUDO ISSO?

Olha, eu quero te dizer muitas coisas. Mas, entre elas, eu quero dizer que:

❤ as coisas boas estão por perto, você só precisa tirar o foco daquelas que te parecem ruins. Mesmo que seja difícil, continue tentando, tentando, tentando (assim como eu); 
conhecer pessoas novas é brilhante e uma experiência de desenvolvimento pessoal incrível;
❤ e, mais que isso: através das conexõesentendemos a essência do amor e ele pode estar em qualquer - QUALQUER - detalhe.

Deixo, por fim, essa citação de Steve Pavlina, que resume muito bem o que quero dizer: 

"Uma das maneiras mais fáceis de se conectar amorosamente com outras pessoas é compartilhar algo com elas. Compartilhe uma conversa. Compartilhe experiências. Compartilhe histórias. Compartilhe risos. Compartilhe uma refeição. Compartilhe um jogo. Compartilhe-se. A vida está repleta de oportunidades para compartilhar momentos interessantes com as pessoas."

Um beijo para você e para a sua paciência de ter lido tudo isso. Compartilhe o que quiser comigo nos comentários. Eu vou amar ler! Beijos e até.

8 comentários:

  1. ingrid francielle22 de maio de 2016 12:48

    eu amei ! <3

    ResponderExcluir
  2. Gostei muitoo!!! Parabéns Laysla, pela delicadeza e sensibilidade ao escrever e pela maneira de observar as coisas, os fatos...! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa boa de ler! Eu é que agradeço a você, pela visita e pelo carinho! <3

      Excluir
  3. Amei! Ótimo texto e me deu saudade e uma vontade de voltar a Ilha grande só de ver as fotos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um sonho, não é, Bárbara?! Muito obrigada pelo carinho! <3

      Excluir
  4. Que domingo lindo vc teve! Eu aprendi também: não perco nunquinha a oportunidade de conhecer pessoas, livros, filmes, músicas, lugares... Hoje sou muito melhor que ontem :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada melhor que isso, não é mesmo?! Ser melhor que ontem. Concordo com você! :)

      Excluir

Deixe o seu traço riscar!